A falta de uma verdadeira anarquia num momento crucial no Brasil

Acabou o carnaval e como diz a piada (um tanto verdadeira): o ano está começando no Brasil. Está começando também para o Congresso brasileiro, onde acabou o seu “pequeno recesso”, fazendo voltar ao serviço os políticos de terno que ganham 10 vezes mais que um “trabalhador comum” e que podem se ausentar do trabalho sem que nada interfira para que seu salário seja creditado em sua conta bancária. São essas pessoas que deveriam representar o povo mas são os responsáveis por parar o país com uma briga interna que marcou 2015 e tem tudo pra dar prosseguimento nessa volta pós recesso.

O que me deixa surpresa em toda essa baixaria no Congresso é a passividade do povo brasileiro que infelizmente tem como tradição esperar demais pelo governo, o que ficou mais evidente com essa novela entre os parlamentares. Mas uma coisa marcante foi uma grande quantidade de protestos contra o governo, tendo como foco pedindo o impeachment de Dilma Rousset. Bravo! Estão protestando massivamente contra o governo. Esses protestos então tornam o país… anarquista? Infelizmente, muito pelo contrário.

A maior parte dos presentes nos protestos são pessoas de “classes altas”, ou de “classe média branca”, como foi dito pela BBC, muitos deles até eleitores de Aécio Neves, o adversário de Dilma nas eleições. Em alguns protestos chegaram até a fazer uma ridícula camisa com os dizeres ‘A culpa não é minha, eu votei em Aécio’, como se caso este fosse eleito iria tomar medidas e encontrar soluções mirabolantes para ser uma grande potência (no sentido capitalista).

Mas toda essa revolta contra o governo não resultou em nenhum movimento anarquista? Se me permitir a utilização de aspas, então posso dizer que sim, esse cenário brasileiro gerou um movimento “anarquista” no país. Utilizo as aspas porque foi um momento em que teve uma grande movimentação de pessoas ditas anarco-capitalistas, que apesar de ser um movimento contra o Estado não emprega nenhum outro conceito que esteja entre os pilares da anarquia: contra monopólio de autoridades e propriedades e uma sociedade igualitária. Anarco-capitalistas apenas querem o fim do Estado por este ser uma ferramenta que o impede de acumular riquezas excessivamente, só aí já fere o pilar de uma sociedade igualitária. Na minha opinião pessoal, os que se dizem anarco-capitalistas não são nada mais nada menos que neoliberalistas enrustidos. Eu poderia me alongar mais no tema, mas como me empolgo nas críticas a esse movimento pseudo-anárquico, fica a recomendação para esse ótimo vídeo que fala sobre o tema:

Mas voltemos às pessoas de terno do Congresso. Já reparou quanto tempo a cada dia gastamos lendo e pesquisando sobre política? É impossível acompanhar o trabalho de todos os deputados da Câmara e no Congresso, fora os juízes, os procuradores, … gastamos muito tempo pesquisando sobre as vidas deles para debatermos num grupo de conversa quem são os bons e quem são os ruins. Fazemos isso porque são eles que vão ser os considerados representantes do povo. Mas depois de meses lendo sobre algum candidato e ao julgar que este seja considerado um bom representante para o povo, vemos que ao ser eleito ele não faz muito do que esperávamos dele e acabamos nos decepcionando. Lá se vão os meses de estudos, acompanhando a trajetória de uma pessoa, para quando finalmente este assumir o posto de nos representar, simplesmente pensamos: “não era isso que esperávamos dele”.

Os fatores para isso são inúmeros, basta assistir House of Cards e ver, através de personagens fictícios, como acontecem as escolhas do poder legislativo e judiciário, e que apesar de alguns bem intencionados, acabam de mãos atadas. Falei de House of Cards porque foi o que veio à mente, mas tem muitas outras fontes que demonstrem esse cenário. Aliás, está aí outro grande problema, (muitos de) nós adoramos House of Cards pelo quão é revelador mas no limitamos a debater isso entre nossos grupos de conversa.

Além de muitas séries e filmes com personagens fictícios falando sobre isso, nosso acesso à informação atualmente está enorme, existem vários livros que falem sobre política no Brasil, muitos não necessariamente de política atual, mas que possam ter informações determinantes para compreender melhor o cenário político atual.

Mesmo com o compartilhamento de arquivos a milhão, as pessoas preferem utilizar duas péssimas ferramentas para formar opinião política: páginas do Facebook e vídeo blogs (ou simplesmente vlogs) no Youtube. Vale notar que ambos são de cunho conservador, como bem descreve duas ótimas reportagens da Agência Pública: A nova roupa de direita e A direita abraça a rede. Nesses textos percebe-se como o conservadorismo vem crescendo no Brasil, principalmente pelo público jovem, que ainda se prende à idéia de que um governo conservador resolveria os problemas do país, acabaria com a “baderna”.

Muitos desses jovens inclusive são totalmente favoráveis a idéias absurdas como privatização geral, como se deixar as coisas na mão do Estado fosse sinônimo de corrupção. O anarquismo tem isso como pensamento, mas não por essa vertente. Realmente privatizar tudo aparentemente daria a impressão de liberdade, por se livrar do Estado, mas imaginemos isso na situação que o Brasil está hoje, com esse enorme crescimento da onda conservadora, seria um desastre. Os cartéis iriam fazer a festa com a ausência de Estado.

No caso do Brasil o Estado vem atuando como agente regulador para melhorar a qualidade de vida das “classes menos favorecidas” aumentando a tributação sobre os ricos e investindo em programas sociais como o Bolsa Família. Claro que só com isso o governo não está maravilhoso pois o Estado continua sendo Estado, para um bom anarquista essa frase basta. Mas esse é o ponto chave de tanta revolta conservadora no país: a tributação. Pessoas que costumavam fazer suas riquezas explorando o homem estão tendo mais dificuldades com as medidas sociais do governo, então por conta dessa exploração vemos que a revolta contra o governo nada tem de anarquista.

Com esse pequeno destrinchamento da situação político-social brasileira devo dizer que o Brasil está perdendo uma chance de ouro de fazer crescer um movimento anarquista no país. Toda essa crise no Congresso está deixando evidente que ninguém está lá para servir o povo e nosso suor está pagando o salário deles. Isso deveria ser o suficiente para aflorar a revolta do cidadão e nos unirmos para acabarmos com os que tiram nossa liberdade. Afinal, digam se uma cena dessa não é emocionante?

Sempre me emociona ver essa cena e sempre me entristece quando percebo o tempo que perco na minha vida lendo sobre política.

PS: Leiam (muito) sobre anarquismo! Aqui tem um pacote com 445 livros em português sobre anarquismo e áreas afins: https://livrosanarquistas.wordpress.com/2013/06/26/livros-e-artigos-anarquistas-e-afins/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s